Monthly Archives: March 2016

UMA CARTA DO PORTO – Por José Magalhães (126)

CINE FOZ A Foz do Douro, é no princípio do século XX uma consolidada e reconhecida zona balnear, dispondo de um teatro (Vasco da Gama), e na Esplanada do Castelo, de uma sala de projecção de… Fonte: UMA CARTA DO … Continue reading

Posted in Uncategorized | Leave a comment

IMAGEM E POESIA – Por José Magalhães (58)

PRECISO DE ESPAÇO PARA TALVEZ QUERER     Preciso de espaço para talvez querer O que não sei. A minha atitude é de recusa Resignação e revolta. Mesmo sem o saber O que não quero, já… Fonte: IMAGEM E POESIA … Continue reading

Posted in Uncategorized | Leave a comment

IMAGEM E POESIA – Por José Magalhães (58)

PRECISO DE ESPAÇO PARA TALVEZ QUERER     Preciso de espaço para talvez querer O que não sei. A minha atitude é de recusa Resignação e revolta. Mesmo sem o saber O que não quero, já… Fonte: IMAGEM E POESIA … Continue reading

Posted in Uncategorized | Leave a comment

UMA CARTA DO PORTO – Por José Magalhães (125)

O CINE-TEATRO VASCO DA GAMA   João Leite da Gama, residente na ilha de S. Miguel, nos Açores, era sobrinho de umas primas de Bernardo de Lemos Carneiro de Barbosa. Este, era um capitão de milí… Fonte: UMA CARTA DO … Continue reading

Posted in Uncategorized | Leave a comment

IMAGEM E POESIA – Por José Magalhães (57)

PODE SER QUE   Pode ser que um dia nos afastemos Mas hoje, vamos caminhar juntos na estrada que construímos Vamos aproveitar a amizade que temos Vamos andar por vilas e cidades Saltar c… Fonte: IMAGEM E POESIA – Por … Continue reading

Posted in Uncategorized | Leave a comment

UMA CARTA DO PORTO – Por José Magalhães (124)

O SENHOR ARTUR   Artur, divorciado mas a viver maritalmente com Joana, sem filhos desta união, atravessava o Jardim do Passeio Alegre, na Foz do Douro, com passo apressado. Era a sua maneira d… Fonte: UMA CARTA DO PORTO – … Continue reading

Posted in Uncategorized | Leave a comment

IMAGEM E POESIA – Por José Magalhães (56)

PINTO O MEU POEMA Pinto o meu poema E desenho o meu caminho Num mar de letras. Às vezes junto alfazema Outras jasmim, Tudo no mesmo cadinho E às vezes umas fraquezas. Pinto o amor As cores, … Fonte: IMAGEM … Continue reading

Posted in Uncategorized | Leave a comment