Monthly Archives: October 2016

IMAGEM E POESIA – Por José Magalhães (83)

ILUMINO OS MEUS DIAS     Desenho um mapa De lugares vazios Na incessante procura Da minha verdade Mareio por versos e rimas Em poemas perdidos Com os olhos bem abertos No meio da c… Fonte: IMAGEM E POESIA – … Continue reading

Posted in Uncategorized | Leave a comment

UMA CARTA DO PORTO – Por José Magalhães (153)

O PORTO EM IMAGENS (14)                 MIGUEL DUARTE Três Estrelinhas, de Anacleto de Medeiros   CINEMA REGRESSA À BAIXA DO PORTO   HELDER PACHECO… Fonte: UMA CARTA DO PORTO – Por José Magalhães … Continue reading

Posted in Uncategorized | Leave a comment

IMAGEM E POESIA – Por José Magalhães (82)

ÉS A MINHA JANELA     É isso aí, Meu amor, Eu não sei parar O saber De te olhar Desde o momento em que te vi, Nem vou parar De te querer E de te amar Mesmo que seja … Continue reading

Posted in Uncategorized | Leave a comment

UMA CARTA DO PORTO – Por José Magalhães (152)

CAPELA DOS ALFAIATES NOSSA SENHORA DE AGOSTO Quase passa despercebida a capela que, se olhássemos, veríamos à nossa esquerda. Ali encaixada entre duas ruas e a uma escassa trintena de metros da rua… Fonte: UMA CARTA DO PORTO – Por … Continue reading

Posted in Uncategorized | Leave a comment

IMAGEM E POESIA – Por José Magalhães (81)

O SABER DAS MINHAS CÃS     Com ternura Subo pelo flanco Em direcção ao leito do rio. Recolho o orvalho efémero E provo a delícia súbita das romãs Com bravura Escuto o teu breve pranto E, subin… Fonte: IMAGEM … Continue reading

Posted in Uncategorized | Leave a comment

UMA CARTA DO PORTO – Por José Magalhães (151)

O PORTO EM IMAGENS (13)                   INAUGURA HOJE “Germano Silva – O Porto no coração” na Casa do Infante       &… Fonte: UMA CARTA DO PORTO – Por José Magalhães … Continue reading

Posted in Uncategorized | Leave a comment

UMA CARTA DO PORTO – Por José Magalhães (150)

CEMITÉRIO PARA CAVALOS E BURROS NA CIDADE DO PORTO Há, no nosso País, poucos cemitérios para animais irracionais. Os mais conhecidos ficam na capital e na Vila da Feira. Dizem até que, nesses, dedi… Fonte: UMA CARTA DO PORTO – … Continue reading

Posted in Uncategorized | Leave a comment